Fiscalização > Roteiros de Visita Técnica

Uma tradução objetiva dessa nova metodologia de trabalho são os roteiros desenvolvidos para nortear a visita do consultor técnico e apresentar ao nutricionista e ao empregador os parâmetros focados na busca por um serviço de excelência. Desenvolvidos com base nas Resoluções CFN-358 e 380/2005, que estabelecem as atribuições dos profissionais nas diversas áreas e na legislação sanitária, esses roteiros definem os pontos que devem ser observados numa atuação compatível com bons padrões de qualidade. Assim, o profissional pode se orientar para corrigir de antemão o que for preciso em sua rotina. Esse apoio se estende, ainda, às entrevistas, que podem ser agendadas com o consultor técnico nos dias de plantão no Conselho, bem como ao atendimento e às solicitações de visita do consultor ao local de trabalho do nutricionista.

Os roteiros estão disponíveis na página do CRN-4 na internet. Em geral, seu conteúdo abrange especialmente as seguintes fases: identificação dos profissionais - Responsável Técnico e integrantes do Quadro Técnico e do local visitado; dimensionamento do serviço; atividades obrigatórias e complementares do nutricionista e do técnico e procedimentos de controle de qualidade, que enfocam as condições e intervenções relacionadas a situações de risco à saúde.

Um complemento a esse material é o roteiro para elaboração do Manual de boas práticas e a legislação básica da Vigilância Sanitária, que também estão disponíveis na página do Conselho na Internet.

Para as empresas, essa transparência na atuação traz vários benefícios, dentre os quais se destacam a clareza em relação aos indicadores de qualidade que estarão sendo observados; as atribuições do profissional a ser contratado - o que se deve oferecer a ele e o que se deve esperar dele. “Não se trata apenas de cumprir a lei, mas de usufruir dos benefícios que a atuação do nutricionista pode trazer para o negócio”, esclarece Arlette Saddy.

 O Conselho Federal e o CRN-4 investiram no aprimoramento do quadro de fiscais, modelando de forma participativa essa nova estrutura, com vistas a alcançar resultados no mais breve espaço de tempo. Processos, abordagem, postura, material técnico, retorno para a categoria e até mesmo apresentação pessoal também foram considerados na fase inicial.

Essas estratégias foram desenhadas para estabelecer uma nova relação com o nutricionista, considerando-o sempre como o centro das atenções da fiscalização do Conselho e o principal aliado no processo de construção permanente de um trabalho voltado para a saúde e a qualidade de vida da população.  Esse é o compromisso assumido, já traduzido em ações e propostas de uma atuação profissional reconhecida no mercado de trabalho.

 

Últimas notícias RSS

> veja mais notícias

Relatório sobre qualidade da alimentação nas escolas públicas do estado do Rio de Janeiro